Sai

Dani Vieira

Ultimo trago

Do mesmo cigarro

Que você deixou

Encostado na mesa do bar

Longe do meu alcance

 

Já tanto faz, dá na mesma

Se eu fumo ou não

Não sou seu

Agora sou só problema meu

Cê zerou sua chance

 

Sai, me deixa em paz

Quero viver pra mim

Quero viver assim

Sem saber de você

 

Vai, pra rua vai

Eu vou pra lua, meu bem

Vou pra marte, eu vou pro além

Vou cuidar da minha vida

 

Ultimo trago

Do mesmo cigarro

Que você deixou

Encostado na mesa do bar

Longe do meu alcance

 

Já tanto faz, dá na mesma

Se eu fumo ou não

Não sou seu

Agora sou só problema meu

Cê zerou sua chance

 

Sai, me deixa em paz

Não fala, não arma pra mim

Nessa brincadeira sem fim

De ser seu mal-querer

 

Vai, pra rua vai

Eu sou de vênus, meu bem

Não sou sua nem sou de ninguém

Vou cuidar da minha vida

 

Me deixa em paz

Camadas

Dani Vieira e Larissa Luz

A cara lavada do coração

Quase sempre maquiado

Camada sobre camada

Corrigindo imperfeição

Rasgue-se

Desmascare-se

Pinte-se de amor

Paralelo

Dani Vieira e Marcelo Salgado

Caminha

Por onde o destino obtuso

Se alinha

Por mais que não seja sua vida

E a minha

A linha

Cruzada quiçá ligação

 

Espera

Procura por mim

Procura por alguém que eu era

Não para, avança por si

Persevera

Persegue por onde as linhas

Se vão

A Dor

Dani Vieira e Marcelo Salgado

A dor

Devora agora

Outrora

Hora sim, hora não

A dor

Demora

Embora

Fora de mim canção

A dor

Adora

Corrobora

Cola em mim refrão

A dor

Senhora

Mora

Chora, no fim perdão

Entrei no beat

Dani Vieira 

Entrei no beat

Do ritmo de um coração solto, livre

Na dança da solidão, mas sem crise

Desapegado, no mundão dos que vivem

Passando longe da ilusão

Mas se ligue

O lance aqui não é casamento

É o que dá liga num encontro casual

Se acordar pensando em mim

Não vou confundir o teor do teu sinal

Vem ou joga no vento

Todo sentimento que eu despertei aí

Diz ou manda um recado

Não deixa guardado que eu quero sentir também

Desintoxicação

Larissa Luz

Me sinto vazia

Me sinto vasta

Ressaca destrói 

Mais um dia 

Mas seu corpo não sai de mim

Amarra minha mão seu puto

Seu toque me marcou e o fim

Me soou como um insulto

Eu não quis aceitar

Só quero não pensar

Me deixe esquecer

Que um dia eu quis você

Preciso de desintoxicação

Tua língua desfia

Minha alma nua

Um nó me feriu

Você trocou fogo por água morna

E eu querendo ebulição

Você provocou, atiçou, conseguiu e fugiu

E deixou seus pedaços no chão

Num gole de café

Na lisergia, na criação

Nos graves espalhados 

Na cozinha, no gozo triplicado

Preciso de desintoxicação

O tempo embassa

Vontade dá e passa

Lembrança Roxa

Dani Vieira 

Debaixo do cacho de uva

À flor da minha pele

Assombra uma lembrança roxa

Que vem lá de longe

O pé na folha verdescalço

E ela ainda fere

É feito de azedo/amargo

O que só me esconde

Vingou

Eu tô fazendo o meu melhor

Pra ser muito melhor pra mim

E as marcas que não tinham fim

Agora vão ter que findar

Regada incompleta 

Eu cresci inteira, é só olhar

Tem flor que cai

Mas fez raíz profunda

Eu vou até o fim

Tem que sobreviver

Saber lidar

Semear, florescer

Outra história